Topo do Governo de Pernambuco
Link para Barra do Governo do Estado de Pernambuco PortalPE - pgina histria de Pernambuco PortalPE - pgina Perfil do Gorvenador PortalPE - pgina Secretarias do Estado PortalPE - pgina Programas do Governo PortalPE - pgina ltimasNotcias PortalPE - pgina Servios Online PortalPE - pgina Rdio SEI

Not�cias

Not�cias

Publicado em 22/09/2015 | Categoria: APAC em destaque
Voltar

Primavera comea nesta quarta-feira, 23.

O dia 23 de setembro de 2015 marca o fim do inverno no Hemisfério Sul do Planeta Terra e o início da primavera. Neste dia, ocorre o equinócio, fenômeno astronômico no qual o dia e a noite têm igualmente doze horas de duração. Neste período do ano, os raios solares atingem com maior intensidade as regiões da Terra próximas à linha do Equador, marcando a passagem da estação. O próximo equinócio só ocorrerá em março de 2016.


A estação, que vai até o dia 22 de dezembro, é marcada pelo aumento gradual da temperatura e uma diminuição da umidade relativa do ar durante o dia. Em Pernambuco, localizado na região tropical do planeta, os contrastes não são tão evidentes como em outras regiões, mas é perceptível em áreas mais arborizadas.


No Sertão, a estação se caracteriza pelas temperaturas altas, umidade baixa e a ausência de chuvas. Enquanto isso, nas demais regiões do estado (Litoral, Zona da Mata e Agreste), essas características são um pouco mais amenas devido à proximidade do oceano, que fornece umidade e ameniza o calor.


Segundo a Gerência de Meteorologia e Mudanças Climáticas da Agência Pernambucana de Águas e Clima, na primavera, a média de temperatura no Sertão Pernambucano é de 26°C. Já no Sertão do São Francisco é de 28°C. No Agreste, devido ao relevo serrano, varia de 21 a 24°C. Na Zona da Mata e no Litoral, a média é de 25°C.


A média histórica de precipitação de chuva durante toda a estação, no acumulado, é 89,0mm no Sertão Pernambucano, 104,6mm no Sertão do São Francisco, 64,4mm no Agreste e 122,8mm na Zona da Mata e Litoral. Na RMR, o acumulado atinge 137,6mm. A tendência é que, até dezembro, as chuvas fiquem abaixo da média em todas as regiões do estado.